Arquivo da categoria: O que acontece?

O que acontece?

Tirinha – Tchau 2016!

Tchau 2016
Tchau 2016

O ano de 2016 não foi nada fácil. Muitas mudanças, cortes, discussões… Só restava a nós esperar que o ano acabasse. Fizemos tudo direitinho: pulamos 7 ondinhas, comemos romã, ficamos longe do frango no jantar de reveilón.

Tchau 2016!

Chegou 2017 e parece que pouco mudou. O jeito é esperar que a essa “lama” que 2016 deixou seja limpa. Vamos torcer e nos mexer!

Sorteio “Quem quer ganhar uma caricatura?”

No dia 07 de março de 2016, foi realizado um sorteio na FanPage da Ilustrativo. Aquele que a curtisse, compartilhasse o post e se cadastrasse no sorteio estaria concorrendo a uma Caricatura.

Sorteio da caricatura
Resultado do sorteio

A ganhadora foi a Teresa, que nos enviou uma foto e abaixo está o resultado. Parabéns Teresa!

Se você também quiser participar de nossos futuros sorteios, entre em nossa fan page e nos curta!

Encomende sua caricatura conosco! Nos peça um orçamento!

Caricatura da Teresa, ganhadora do sorteio
Caricatura da Teresa, ganhadora do sorteio

Tirinha – Epidemia de Zika Vírus

Zika
Zika Carnaval

 

O ZIKV, ou Zika Vírus é temida em todo o mundo. E aqui no Brasil? Ele apareceu, se alastrou e parece que está tudo bem. #coisasquenãoentendo.

O mosquito das pernas listradas, Aedes Aegypti,  já é um velho conhecido do brasileiro. Mas mesmo com todo esse tempo de convívio entre nós, não encontramos uma solução definitiva para o extermínio desse inseto. O número de casos da Dengue aumenta drasticamente todos os anos. E 2015 foi um ano especial, já que toda a população começou a estocar água de forma indevida temendo uma nova escassez de água. Outras doenças com nomes estranhos aparecem, como a Zika e a Chikungunya, e a situação só piora.

Não mate os predadores naturais do mosquito, como lagartixas, libélulas… há até grandes mosquitos que se alimentam das larvas do Aedes Aegypti, sabia? Mas o melhor seria evitarmos de deixar água parada por aí. A conscientização deveria ser o melhor método de prevenção, mas parece que as autoridades fecham os olhos perante crise na saúde. Gasta-se muito mais com tratamento de doentes do que com campanhas eficazes. E estou falando de informação e pesquisas, não de veneno, ou mata-moscas, ou raquete elétrica… Devemos aguardar a chegada do inverno para nos livrarmos dessas doenças? Assim no próximo ano, quando voltarmos aos meses chuvosos, as epidemias também retornam.

E assim as indústrias de repelentes enriquecerem, nós ficamos desamparados, e o mosquito voa por aí “sambando em nossa cara”.